Frente à pandemia do novo Coronavírus (COVID-19), ADURN-Sindicato promove ações solidárias

Publicado em 28 de abril de 2020 às 15h49min

Tag(s): Coronavírus Pandemia de coronavírus



Diante da crise sanitária provocada pela pandemia do novo Coronavírus, desde o mês de março o ADURN-Sindicato tem se mobilizado em torno de ações que possam contribuir com o combate ao avanço da doença no país. Até o dia 19 de maio, 261.567 casos da COVID-19 foram registrados no Brasil, 3.198 deles no Rio Grande do Norte.

O objetivo é amenizar a situação de segmentos vulneráveis ou que passam por uma situação de vulnerabilidade em virtude da pandemia. Nesse aspecto, no dia 1 de abril foi lançado o projeto Arte Potiguar em Casa. A iniciativa surgiu da diretoria do Sindicato dos professores da UFRN para incentivar as pessoas a se manterem em isolamento social, dar visibilidade aos artistas do estado do Rio Grande do Norte e estimular essa área que está sendo afetada pelo cancelamento de incontáveis eventos e programas culturais.

Com apresentações de música, dança, poesia e performances, a live cultural acontece às segundas e quartas-feiras, sempre às 10h, na rede social do Facebook. Já se apresentaram Pedro Mendes, Ananda Krishna, Clara Pinheiro, Rodrigo Bico, Didé Rodrigues, Cláudia Borges, Felipe Nunes, Dani Cruz, Thiago Medeiros, Edja Alves, Léo Fernandes, Gabriela Mendes e Dodora Cardoso.

Outra ação voltada para a cultura aderida pelo ADURN-Sindicato foi a campanha de financiamento da Cooperativa Cultural Universitária. A livraria está comercializando vouchers de R$ 100 ou R$ 200, para que os clientes antecipem suas compras de produtos que poderão ser adquiridos no retorno às atividades.  Os contatos para as contribuições podem ser feitos através do financeiro.cooperativacultural@gmail.com ou via whatsapp – 084. 99864-1991. O sindicato dos docentes fez a compra de alguns desses vouchers.

Ainda no início do mês de abril, o sindicato fez a entrega de cestas básicas à Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Proteção das Mulheres dos Idosos, Trabalho e Minorias, da Câmara Municipal de Natal. A doação beneficiou dezenas de famílias carentes, que tiveram suas situações agravadas com o avanço da COVID-19. A entidade também colaborou com o Projeto Emergencial Contra a Covid-19, que arrecada fundos para atendimento às famílias de comunidades tradicionais. A ação é organizada pela Rede Serviço de Assistência Rural e Urbano (SAR). Além disso, colaborou com o projeto Feira Solidária, que distribui alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade do bairro de Nossa Senhora da Apresentação e contribuiu com a campanha de arrecadação de materiais de higiene e alimentação para a população trans de Natal e região metropolitana organizada pela ATRANSPARÊNCIA-RN. 

Entendendo que o momento exige união, especialmente perante um governo federal que negligencia as questões que envolvem a pandemia e se recusa a apresentar medidas de proteção efetivas voltadas para os mais diferentes setores da sociedade, o ADURN-Sindicato se integrou a movimentos que atuam em diferentes frentes. “Neste momento de enfrentamento à pandemia de COVID-19, é absolutamente necessário que as pessoas individualmente, associações, sindicatos e entidades representativas, também façam ações que possam contribuir para as estratégias desse enfrentamento. Nesse sentido, o ADURN-Sindicato se associou ao RN COVID Solidariedade, que tem buscado contribuir para que outras entidades e municípios do interior também tenham acesso aos equipamentos necessários, como álcool em gel, EPIs e outros insumos que são imprescindíveis para atenção à população”, destaca o diretor do ADURN-Sindicato e do PROIFES-Federação, Oswaldo Negrão.

Formado por docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e profissionais das mais diversas áreas, inclusive da Saúde, o RN COVID Solidariedade visa contribuir para a contenção da doença e seus danos à sociedade através da articulação de ações práticas, organizando linhas de interlocuções com os governos e repassando informações nas redes sobre a pandemia. Ao grupo, o ADURN-Sindicato destinou a doação de mil máscaras de tecido duplo, produzidas conforme as orientações do Ministério da Saúde, que serão distribuídas em locais selecionados de acordo com mapeamento realizado pelo comitê.

Outra iniciativa apoiada pelo sindicato é a campanha “Solidariedade não pode entrar em quarentena”, do Movimento da População em Situação de Rua. Invisibilizado pela sociedade e carente de políticas públicas que garantam necessidades básicas, o segmento está arrecadando alimentos não perecíveis, produtos de higiene pessoal, máscaras, álcool em gel, garrafas de água mineral, além de valores destinados a compra de marmitas.

Frente ao aumento dos casos de violência doméstica e feminicídios registrados no país, ocasionado pelo isolamento social, o ADURN-Sindicato também se integrou à ação “A vida vale mais que o lucro”, promovida pela Marcha Mundial das Mulheres e pelo Centro Feminista 8 de Março. O “dia D” da campanha aconteceu em 24 de abril, como parte da iniciativa “Vamos precisar de todo mundo”, encabeçada pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. O objetivo é arrecadar alimentos e produtos de higiene para serem destinados às mulheres que estão impossibilitadas de trabalhar, garantindo assim o mínimo de autonomia a essas pessoas.

Paralelo às ações solidárias, o ADURN-Sindicato continua na luta pela categoria docente.  Contra a ameaça de rebaixamento do salário dos servidores públicos federais, o sindicato fez o envio de uma carta aos deputados e senadores do Rio Grande do Norte, solicitando que os parlamentares sejam contrários a propostas que rebaixe salários e enfraqueça o papel dos servidores públicos num momento em que o país tenta ainda encontrar formas de enfrentar a pandemia do novo Coronavírus.

“Ser solidário é um aspecto fundamental, o momento exige mobilização de toda a sociedade, porém é necessário que se cobre ao poder público a implementação de políticas públicas que garantam atenção e proteção a todos e a todas. Isso se dá através de medidas que garantam estrutura para que os trabalhadores possam atravessar esta grave crise, mantendo direitos e promovendo o fortalecimento do serviço público, principalmente às áreas de saúde, pesquisa e ciência, essenciais no combate à pandemia”, concluiu o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte.

 

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br