Diretoria do ADURN-Sindicato fala sobre o fechamento da sede nos dias 13 e 14 de maio

Publicado em 19 de maio de 2014 às 11h11min

Tag(s): ADURN-Sindicato



Em entrevista nesta segunda-feira, 19 de maio, o vice-presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte, falou sobre a posição adotada pela entidade diante dos boatos de que haveria tumulto na sede do Sindicato durante o processo de eleição do ANDES na UFRN.

O dirigente explicou a diferença entre ser seção sindical e sindicato, e como a entidade tem encaminhado a luta docente. “De nossa parte, da Federação e do ADURN-Sindicato, o foco é a carreira, a luta pelos aposentados, por melhores salários, um bom atendimento aos sindicalizados, e aprimorar nossos serviços”, ressaltou.

Por que o ADURN-Sindicato publicou uma nota em que anunciava a suspensão das atividades por dois dias na semana que passou?

O fechamento do ADURN-Sindicato deveu-se ao fato de que recebemos denúncias que haveria um grupo que tentaria tumultuar a sede do Sindicato  para fazer valer uma ação ilegal de colocar uma urna dentro da sede para realizar uma eleição de um sindicato que sequer somos filiados.

Como assim? Explique melhor.

Desde 2010, por decisão plebiscitária, referendada posteriormente em Assembleia Geral, nos desligamos do ANDES-SN e, de acordo com todos os procedimentos legais, nos transformamos em sindicato saindo da condição de seção sindical, e resolvemos nos filiar, como sindicato independente, ao PROIFES-Federação, uma Federação que agrega sindicatos das Instituições Federais de Ensino Superior.

E qual é a diferença entre seção sindical e sindicato?

Seção sindical pode ter autonomia, mas seu “corpo” pertence à entidade-mãe. Ela é obrigada a seguir as diretrizes e deliberações do sindicato nacional. É, na prática, um escritório que representa os interesses do núcleo central. O sindicato é independente e soberano. Não tem que se submeter às “ordens” vindas de cima e sua filiação é feita a uma federação ou confederação, no nosso caso, uma federação, que lutas gerais , que servem aos interesses mais gerais.

A prova maior de nossa pluralidade se deu na última greve quando vários dos sindicatos filiados ao PROIFES-Federação se declararam em Greve e a própria aprovou indicativo de greve, enquanto o ADURN-Sindicato, por via plebiscitária, não concordou e tomou sua decisão.

Outro exemplo é a questão do repasse. A decisão do percentual é tomada, no Sindicato Nacional, que diz a sua Seção, quanto deve enviar. Na Federação propusemos que ao percentual estaria atrelado à arrecadação da entidade, o que respeitava as condições de organização de cada um dos sindicatos. Antes mandávamos, por mês, mais de 20% da receita, hoje isso percentual não chega a 12%.

Se essa decisão foi tomada a quatro anos, por que então essa atitude em querer fazer uma eleição dentro da sede do ADURN-Sindicato?

Bem, essa é diferença fundamental entre a Federação e o Sindicato Nacional. Respeitamos a democracia. Respeitamos a categoria. O ANDES-SN jamais aceitou a decisão da categoria, tanto é que numa nota, que circulou nos meios eletrônicos, não reconhecem o Sindicato e num panfleto distribuído nos corredores da UFRN chamava os Sindicalizados do ADURN-Sindicato para votarem nas eleições do ANDES-SN, além de mostrar como local de votação a sede do sindicato.

Mas isso poderia ter sido feito?

Claro que não! É bom lembrar que o ANDES-SN moveu uma ação para anular todo o processo que nos libertou das suas amarras e perdeu, com a sentença ressaltando que a liberdade da categoria prevalece sobre os interesses mesquinhos de um grupo. Então a ação desse grupo ilegal, do ponto de vista jurídico; anti-democrático, do ponto de vista político; e imoral do ponto de vista ético.

Mas a atitude do ADURN-Sindicato, em lutar contra uma eleição, não seria uma atitude anti-democrática?

Não sejamos cínicos! Não se pode considerar democrático um processo que desconsidera a vontade de toda uma categoria, que desconhece as leis e que desrespeita todos os atos e ações de uma entidade que é reconhecida como representação da categoria dos docentes da UFRN.

Mas, essa disputa fortalece o movimento docente?

De nossa parte, da Federação e do ADURN-Sindicato, o foco é a carreira; a luta pelos aposentados; por melhores salários; um bom atendimento aos sindicalizados; e aprimorar nossos serviços. Temos feito isso ao longo dos anos, mas infelizmente o Sindicato Nacional, que quer representar todos os professores universitários do Brasil, quer sejam federais, estaduais, municipais, privados ou confessionais, não aceita o fato de que os professores querem uma entidade plural e que represente um segmento específico da categoria de professores universitários. Os procedimentos dessa entidade têm sido visto e não é a toa que não aceitamos mais participar dessa entidade verticalizada.

E o Sindicato vai tomar alguma atitude?

Em nome da democracia e em respeito aos professores, agiremos em defesa do Sindicato e do nosso legítimo direito de existir. Tomaremos todas as medidas legais para que os que praticaram tais atos sejam responsabilizados. Do ponto de vista político devemos continuar a fazer valer a democracia e o respeito à divergência, que foi e será nossa marca.

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br