Avanço do neoliberalismo na América Latina é analisado no segundo dia do XIV Encontro Nacional do PROIFES

Publicado em 26 de julho de 2018 às 12h41min

Tag(s): Encontro Nacional PROIFES



O segundo dia do #EncontroPROIFES começou na manhã desta quinta-feira, 26, com uma análise da conjuntura brasileira e da América Latina. O diretor de Relações Internacionais do PROIFES, Eduardo Rolim (Adufrgs-Sindical), mediou o debate entre os convidados: a vice-presidente da Internacional da Educação na América Latina, Fátima Silva (CNTE), e o secretário geral da Conadu, Carlos De Feo (movimento sindical da Argentina).

O avanço do modelo neoliberal sobre a América Latina nos últimos anos foi a tônica do debate. Fátima Silva fez um resgate desse avanço que começou em Honduras, seguiu para o Paraguai, Argentina com reflexos diretos dessa onda conservadora no Brasil, culminando no golpe contra o governo eleito da presidente Dilma Rousseff. Para a dirigente, a tarefa do movimento sindical para o próximo período é consolidar políticas que promovam o desenvolvimento do país e a educação se insere neste processo. "O desafio é pensar o modelo de educação que queremos que tenha como princípio a democracia", enfatizou, reforçando que as entidades do setor são autônomas entre si, mas autonomia não significa neutralidade.

Carlos De Feo falou sobre semelhanças e diferenças entre os países latinoamericanos no atual contexto e ressaltou a necessidade de manter a unidade do movimento docente para enfrentar o retrocesso sofrido pelas políticas democráticas, populares e soberanas conquistadas pelos países, com especial destaque para as políticas de expansão e acesso na universidade pública brasileira.

"Não há nenhuma possibilidade de superar os atuais problemas na Universidade se não superarmos a situação política. Por isso, os docentes precisam assumir a luta política de enfrentamento ao neoliberalismo".

Rolim encerrou a mesa destacando a importância das relações entre os movimentos sociais dos países latinoamericanos para fortalecer a unidade do continente e barrar esses retrocessos. Na Argentina, disse, “diferentemente do Brasil, a população escolheu nas urnas o governo neoliberal de Macri. Aqui, não, o governo eleito sofreu um golpe e se instalou no país um projeto completamente diferente do aprovado nas urnas”.

O #EncontroPROIFEs segue nos próximos dias debatendo cinco temas. Nesta quinta, serão debatidos a Conjuntura Nacional e as Perspectivas dos Movimentos Sociais e o Plano Nacional de Educação e o Financiamento da Educação.

Fonte: PROIFES-Federação

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br