Conquistas e desafios para a Carreira deram o tom das discussões do 5º Seminário do EBTT

Publicado em 13 de novembro de 2018 às 18h41min

Tag(s): EBTT



As conquistas e desafios para a Carreira do Ensino Básico Técnico e Tecnológico (EBTT) pautaram as discussões durante a 5ª Edição do Seminário do EBTT, realizado nesta terça-feira, 13 de novembro, no auditório do Núcleo de Educação da Infância (NEI) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A atividade promovida pelo ADURN-Sindicato reuniu docentes das cinco unidades do EBTT da UFRN (Escola Agrícola de Jundiaí, Escola de Música, Escola de Enfermagem, Núcleo de Educação da Infância e Instituto Metrópole Digital).

Para além das discussões, este ano o seminário teve um tom comemorativo, isso porque em 2018 a Lei que reestrutura a Carreira do Ensino Básico Técnico e Tecnológico completa uma década. “No ano em que comemoramos os dez anos de nossa carreira, nada mais importante do que fazer uma avaliação, uma retrospectiva das conquistas e uma análise desse novo cenário que se apresenta. Por isso resolvemos realizar esta 5ª edição, com o objetivo de se colocar diante das perspectivas e dificuldades que cada uma das unidades da UFRN está enfrentando, especialmente com a Emenda Constitucional 95”, afirmou Gilka Pimentel, vice-presidente do ADURN-Sindicato.

Para o secretário de EBTT da UFRN, Zilmar Rodrigues, o momento não poderia ser mais pertinente para se fazer um balanço desses dez anos. “A realização deste seminário não implica tão somente em discutir o surgimento da carreira, mas também os desafios que são não só do amadurecimento e da consolidação da carreira em si, mas também a respeito do cenário atual, em que fica a dúvida sobre como ficarão as políticas que foram implementadas em relação não só a Educação Básica, como também a Educação Profissional”, colocou Zilmar.

Presente à mesa de abertura do evento, a pró-reitora de gestão de pessoas da UFRN, Miriam Dantas, afirmou que “participar do sindicato nunca foi tão importante”. Para a gestora “este é um momento de conversar. Conversar sobre a liberdade de cátedra, direitos individuais, respeito, tolerância, construção e manutenção da universidade pública e do que foi conquistado até agora”, disse.

Ao longo do dia duas mesas de diálogos foram realizadas. Pela manhã, o   Diretor de Assuntos Sindicais do PROIFES-Federação, Valdemir Alves Junior, conduziu a mesa “Contexto da criação da carreira EBTT: conquistas e perspectivas no cenário atual da EC 95”. Valdemir ressaltou que nesses dez anos de carreira há muito o que se comemorar. “Nós conseguimos construir uma carreira realmente ligada a parte acadêmica e muito parecida com a carreira do Magistério Superior. Conquistamos o nosso espaço e conseguimos colocar em andamento as novas atribuições da carreira, que são a parte de pesquisa, extensão e gestão”, avaliou o dirigente.

A tarde durante a mesa “Os desafios das unidades no contexto da EC 95: Relatos de experiências” os docentes tiveram a oportunidade de falar a respeito da realidade de suas unidades e as perspectivas para o futuro. Além disso, na ocasião, a representante da Comissão Permanente de Pessoal Docente do EBTT (CPPD), Adele Ubarana, tirou dúvidas dos presentes e falou sobre as atribuições da comissão e sua importância para os docentes da carreira.

Sobre a troca de experiências entre os docentes de diferentes unidades, o diretor de assuntos de EBTT do ADURN-Sindicato, Dárlio Inácio, explicou que o principal objetivo é se fortalecer diante das ameaças. “Com a Emenda Constitucional 95, por exemplo, futuramente nós não poderemos aumentar o número de professores e nem sequer manter as estruturas que já temos até o momento. Além disso, com as especulações que dão conta de que as universidades sairão do Ministério da Educação e passarão a ser da pasta do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, fica a dúvida: se isso ocorrer qual o futuro do EBTT? Como ficarão os mais de 250 professores da carreira que estão dentro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte? Isso é um debate que o governo não coloca, mas que nós precisamos fazer”, disse.

Encerrando a programação do seminário, a assessora jurídica do ADURN-Sindicato, Andreia Munemassa, falou a respeito das ações do RSC para ativos e aposentados.

Nos próximos dias 7 e 8 de dezembro, a discussão sobre a carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico acontece em âmbito nacional. Nestas datas o PROIFES-Federação reúne os sindicatos federados na cidade de Curitiba, no Paraná, para o 1º Seminário Nacional do EBTT. A atividade será realizada no Sindiedutec e finaliza as comemorações dos dez anos da carreira.

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br