Ministro da Educação é denunciado no STF por racismo contra chineses

Publicado em 08 de abril de 2020 às 14h57min

Tag(s): Pandemia de coronavírus



O ministro da Educação Abraham Weintraub foi denunciado no Supremo Tribunal Federal (STF) por racismo contra chineses. De acordo com a notícia-crime, apresentada pelo historiador e colunista da Fórum Vinicius Gomes Wu, a conduta do ministro é repugnante, não condiz com o cargo, prejudica as relações entre os países e discrimina descendentes que vivem no Brasil.

A ação atribui a Weintraub o crime de racismo por postagem feita pelo Twitter no último sábado (4). Ele usou uma imagem de Cebolinha da Turma da Mônica, criado por Maurício de Sousa, na Muralha da China. Substituindo o “r” pelo  “l”,  ele fez referência ao modo de falar do personagem, para insinuar que se tratava dos chineses.

E insinua que a China vai sair “fortalecida” da crise atual causada pelo novo coronavírus, apoiado por seus “aliados no Brasil”, associando a origem da covid-19 ao país asiático.

Acostumado a criar suas próprias crises, o governo Bolsonaro decidiu entrar de cabeça em mais uma briga, mais uma vez, envolvendo a China, o maior parceiro econômico do Brasil, que responde por um quarto da balança comercial, que até fevereiro deste ano foi de 15,5 bilhões de dólares.

Desprezando a importância da China na ajuda ao Brasil na crise do coronavírus, o ministro de Bolsonaro voltou a fazer declarações racistas em uma live do deputado filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, mesmo depois da reação da Embaixada da China no Brasil. Todos os episódios foram relatados na notícia-crime, bem como os laços significativos entre Brasil e China.

Frequentemente, Weintraub utiliza as redes para incentivar publicações que insinuam que a China é responsável pela pandemia de coronavírus, que já atingiu boa parte do mundo. Só no Brasil, já são 667 óbitos e 13.717 casos confirmados. O país registrou, nas últimas 24 horas, 114 mortes por Covid-19.

Quando Eduardo Bolsonaro foi rebatido pela Embaixada da China, após o parlamentar ter reproduzido pelo Twitter a narrativa comum entre a rede de militantes da ultradireita. De que se a China fosse uma democracia a pandemia de coronavírus teria sido barrada, Weintraub o apoiou.

Fonte: Agência Saiba Mais

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br