Pop rock, reggae e MPB com Alan Persa no Arte Potiguar em Casa desta quarta-feira, 10

Publicado em 07 de junho de 2020 às 19h39min

Tag(s): Apresentação Cultural



“Ajude a levar mais cultura para as ruas de Natal”, essa é a frase presente na plaquinha que o potiguar Alan Persa costumava levar às suas apresentações nas ruas da cidade. Com a pandemia, a premissa de levar cultura aos natalenses não mudou, mas a apresentação agora é virtual e nesta quarta-feira, 10 de junho, o músico é a atração do projeto Arte Potiguar em Casa.

Com um repertório que passeia entre o pop rock, o reggae e a MPB, Alan Persa se apresenta a partir das 17h, na página do Youtube do ADURN-Sindicato. Na terça-feira, dia 09, no mesmo horário, o encontro com o público é no Instagram do ADURN-Sindicato. Na oportunidade, a produtora audiovisual, Rebeca Souza, vai bater um papo sobre a carreira do músico.

Alan é a 18ª atração do Arte Potiguar em Casa. O projeto já recebeu apresentações de música, dança, poesia e performances, somando até agora mais de 10 mil visualizações da live cultural no Facebook e no Youtube do ADURN-Sindicato.

Sobre Alan Persa

Uma voz, uma guitarra e uma carreira de arquitetura promissora. Assim, Alan de Melo Trindade, o “Alan Persa”, iniciou a jornada como guitarrista em uma banda de rock autoral, formada em Natal (RN), a 2polos. O sonho de viver da música levou os componentes da banda potiguar a buscarem outros ares, até que estrearam na noite paulistana. A parceria com o grupo durou o suficiente para que Alan tivesse a certeza que era realmente isso que queria. Em 2014, o arquiteto voltou para Natal (RN) e começou a idealizar a carreira solo, mas a decisão não foi fácil. “Eu tive que mudar, começando em mim, a concepção de que viver da música em uma cidade como Natal era quase impossível”, declarou.

Em sua passagem por São Paulo, Alan observava cantores que se apresentavam nas ruas da cidade e percebeu o impacto positivo nas pessoas que transitavam no local. Ao retornar para a Cidade do Sol, Alan adotou a ideia e resolveu “botar a cara” nas ruas.

Alan começou o trabalho solo em calçadas de grandes lojas da cidade, no horário da tarde, com apresentações que chegavam a três horas; Seu repertório passeia entre o pop rock, o reggae e a MPB. Foi cantando em frente ao maior shopping de Natal onde o músico teve o despretencioso e grande momento de divulgação da sua carreira. “Em maio de 2016 estava me apresentando e por um momento apenas uma criança parou e sentou na minha frente para ver o meu show. Alguém passou, tirou uma foto, postou em uma rede social e essa imagem viralizou”, afirmou.  



A partir daí, Alan entrou em um novo momento. Além da explosão nas redes sociais (atualmente com mais de 60 mil, somados Facebook e Instagram), também levou o talento e carisma para os finais de tarde da praia de Ponta Negra, onde se apresenta todos os domingos, reunindo cerca de 400 pessoas. “Depois da foto, muitas pessoas me adicionaram no Facebook e Instagram, gerando uma visibilidade muito boa para o meu trabalho. Ver pessoas na praia que vão especialmente para me assistir é muito bom, me mostram que estou no caminho certo”, falou.           

Aos 32 anos, Alan conquistou destaque no estado em um pequeno período de tempo, para um público diversificado. Além da interação das pessoas nas ruas, ele também foi reconhecido e nomeado como o artista do ano de 2016, pelo site Natal Divulgações. Fez a abertura do show de Armandinho, do Onze:20 e Maskavo, bandas de destaque nacional. Fechando o ano em grande estilo, em dezembro recebeu o convite para ser intérprete do cantor Belchior, na 14ª edição do Prêmio Hangar de Música, Também teve sua música autoral “O Que É Que Tem” premiada como 3ª colocada pelo júri técnico no Festival Música Potiguar Brasileira 2018.

De olho no futuro, o cantor quer fazer valer os dizeres da plaquinha “Ajude a levar mais cultura para as ruas de Natal”, que usa durante as apresentações. O músico tem planos de produzir eventos para revelar novos artistas e fazer intercâmbio cultural. “Quero poder usar a minha visibilidade para promover mais cultura e arte para a população de Natal, criando novos espaços de divulgação da cultura daqui”, afirmou.        

Mesmo diante do sucesso na terra natal, o espírito aventureiro de Alan continua sendo o seu maior projeto. “Hoje posso dizer que é possível, sim, viver da música em nossa cidade. Quando você acredita e gosta do que faz, nada é impossível. Mas não quero parar por aqui. Meu sonho é viajar e tocar nas ruas do país e do mundo, espalhando música e cultura por esses lugares também”, finalizou.

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br