Ação José Costa Leite para sempre supera expectativas e entra em sua fase final

Publicado em 09 de março de 2021 às 14h29min

Tag(s): Cultura Museu Câmara Cascudo



O projeto José Costa Leite para sempre chega, com sucesso, em sua fase final, e em breve disponibilizará todo o acervo do artista nordestino através da internet. A ação, idealizada pelo Museu Câmara Cascudo da UFRN e viabilizada pelo edital para o Matchfunding BNDES+ 2020, teve o ADURN-Sindicato como um dos seus principais apoiadores e hoje comemora a superação das metas estabelecidas.

O edital em questão previa que, antes de receber o financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o projeto deveria ter o apoio da sociedade via campanha de financiamento coletivo. A soma desses esforços garantiria a compra e a digitalização de todas as peças do xilógrafo, o que acabou por mobilizar quase 300 benfeitores em torno dessa ação que marca os 60 anos do maior museu do Rio Grande do Norte.

Nesta última fase, cada um dos doadores será recompensado duplamente: primeiro com a aquisição das mais de seiscentas matrizes de xilogravura de José Costa Leite, artista paraibano, radicado em Pernambuco e considerado um dos mais antigos poetas e ilustradores ainda em atividade. A outra recompensa vem em forma de presentes para guardar um pouco da arte de José Costa Leite; essas últimas variam de acordo com o valor da doação, mas podem ser bottons, camisetas, ecobags ou até xilogravuras inéditas do artista. O ADURN-Sindicato cedeu o direito de suas recompensas ao próprio Museu Câmara Cascudo para que elas possam, também, compor o rico acervo em construção.

O diretor do Museu, Everardo Ramos, explica que, antes mesmo da exposição que acontecerá quando as portas da entidade forem reabertas, o material terá o estatuto de bem museal federal, pertencente, portanto, a todos os brasileiros. Ramos ressalta que o apoio do ADURN-Sindicato foi imprescindível para a concretização do projeto, tendo sido “de uma sensibilidade impressionante, acolhendo nosso projeto de maneira muito positiva e contribuindo de modo decisivo para a proteção de um patrimônio cultural que concerne a todos nós, brasileiros em geral e nordestinos em particular”.

Ramos e o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte, estão alinhados quanto ao pensamento de que a luta pelo fortalecimento da classe docente passa também, e necessariamente, pela valorização da cultura. Duarte ressalta a alegria do Sindicato em poder fazer parte desta ação comemorativa e de resgate da cultural popular: “ao mesmo tempo em que comemoramos o sucesso da campanha coletiva, reafirmamos a nossa disposição em colaborar com projetos semelhantes que enfrentam obstáculos dos mais diversos em um cenário em que a cultura é deixada à margem das pautas essenciais do Governo”.

José Costa Leite

Os primeiros trabalhos de Costa Leite foram lançados ainda no final dos anos 1940, com os cordéis Eduardo e Alzira Discussão de José Costa com Manuel Vicente. Foi somente no terceiro título que Costa Leite decidiu improvisar a ilustração da capa em xilogravura. Dali para frente, não parou mais. Já nos anos 1960, seu trabalho de xilógrafo ganha status de obra de arte e passa a ser exposto em museus do Brasil e do exterior. Em 2005, participa de uma exposição no Musée du Dessin et de l’Estampe Originale de Gravelines, na França, onde também ministra oficinas sobre o seu trabalho. Em 2007, aos 80 anos, foi homenageado pelo Governo da Paraíba e recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. Atualmente o artista tem 93 anos.

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br