Lei Aldir Blanc é tema de debate no projeto “Encontros e Conversas”

Publicado em 04 de maio de 2021 às 22h09min

Tag(s): Encontros e Conversas



Com o início da pandemia, as cortinas dos palcos se fecharam, as bilheterias minguaram e o público dos shows sumiu. Felizmente, o baque sentido pela classe artística pôde ser amenizado ainda em 2020 com a implementação da Lei Aldir Blanc. Na semana que relembramos a partida do artista que dá nome à regulamentação, o projeto de extensão “Encontros e Conversas” debate a Lei, que concede auxílio financeiro ao setor cultural. A live acontece nesta quinta-feira (6), às 19h30, no canal do YouTube do ADURN-Sindicato.

Na conversa, estarão presentes a professora e produtora cultural, Carla Alves; o diretor da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto; e o vice-presidente da Cooperativa Cultural Universitária, José Correia Torres Neto.

Para José Correia, a Lei Aldir Blanc tem a digital dos deputados progressistas. “Com a Lei criada pela bancada progressista da Câmara Federal, e os recursos destinados aos estados e municípios, foi reativada a cadeia produtiva em diversos segmentos culturais”, afirma ele, destacando também a importância da reativação do setor no Rio Grande do Norte.

“Escritores, atores, músicos, artistas circenses, entre outras representações culturais, conseguiram trabalhar e mostrar a sua arte para o mundo, respeitando sempre os protocolos de segurança contra a Covid-19”, continua.

Em abril, primeiro mês do “Encontros e Conversas”, Correia lançou três curtas-metragens pelo projeto “Monólogos”, que contaram com seu roteiro e/ou direção. Além destes, ainda foi lançada uma revista HQ. Todos os projetos receberam recursos da Lei Aldir Blanc.

O diretor-geral da Fundação José Augusto (FJA), Crispiniano Neto, explica que o Rio Grande do Norte recebeu cerca de 60 milhões de reais para a Lei. Destes, 32 milhões foram aplicados através do governo do estado, pela FJA, e o restante através dos municípios. Agora, novos auxílios e editais para os artistas estão sendo planejados já que, para o gestor, a situação dos artistas é semelhante a do início da pandemia: “com as novas variantes, a situação ficou tão difícil quanto antes”, disse.

O debate desta quinta-feira é apenas a primeira de uma série de atividades promovidas pelo projeto de extensão “Encontros e Conversas”, parceria entre o ADURN-Sindicato e a Cooperativa Cultural Universitária. O segundo evento do mês será no dia 12, com o lançamento do livro Florbela Espanca, de Priscilla Farias. Já no dia 29 haverá encontro do Clube de Leitura Mulheres lendo Mulheres, quando serão debatidas as obras “Carta à rainha louca”, de Maria Valéria Rezende, e “Haicais imperfeitos”, de Anchella Monte.

Serviço

Live: Debate sobre a Lei Aldir Blanc

Quando? Quinta-feira, 06 de maio de 2021

Que horas? 19h30

Onde? Canal do YouTube do ADURN-Sindicato

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br