Um ano e cinco meses após intervenção do IFRN, MEC entrega documento oficial de posse a reitor

Publicado em 02 de setembro de 2021 às 09h44min

Tag(s): IFRN Ministério da Educação



Oito meses após assumir, de fato, a reitoria da do IFRN, o professor José Arnóbio de Araújo Filho, recebeu, na tarde desta terça-feira (31), a posse oficial do cargo. O documento foi entregue pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, em audiência ocorrida em Brasília.

José Arnóbio foi eleito reitor do IFRN para gestão 2020-2024, mas não assumiu o mandato de imediato. Uma intervenção político/federal empossou – em abril de 2020 – um interventor (Josué Moreira) que sequer participou da eleição. Mesmo assim, foi empossado pelo Governo Federal e ficou no cargo até dezembro de 2020, quando José Arnóbio conseguiu ser nomeado após disputa judicial.

A posse oficial é simbólica e marcou o primeiro encontro do reitor com o ministro da Educação. Após declarada a posse, o reitor entregou ao ministro o portfólio institucional do IFRN e uma mostra de produtos da unidade produtiva de derivados do leite do Campus Currais Novos. O ministro declarou ser um grande admirador do trabalho dos Institutos Federais. “Vocês são aqueles capazes de dar uma resposta ao mercado e à sociedade brasileira à demanda por cursos técnicos”, destacou. O ministro aproveitou a oportunidade para informar que solicitou um incremento de 28% nos recursos financeiros destinados aos Institutos.

O reitor José Arnóbio iniciou o seu discurso lembrando o processo de luta para efetivar a sua nomeação e posse. Enfatizou também alguns dados relacionados ao trabalho realizado pelo IFRN, como o atendimento a mais de 40 mil estudantes, sendo cerca de 800 estudantes portadores de deficiência.

Durante o governo Bolsonaro, pelo menos três IFs sofreram intervenção na reitoria. Além do Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Santa Catarina também passaram por ataques semelhantes. No início de agosto passado, caiu o último interventor. O professor Maurício Gariba Júnior retomou o posto para o qual foi eleito. Pela porta dos fundos, saiu André Dala Possa.

Em entrevista à Agência Saiba Mais, Arnóbio Araújo falou à época que o impacto da intervenção sobre o tripé “ensino, pesquisa e extensão” só não foi pior no IFRN porque os diretores gerais tiveram que tomar posse. Ele também faz questão de valorizar o papel e a independência dos conselhos:

“A intervenção impactou de forma negativa. E só não foi pior porque tínhamos a legitimidade dos diretores gerais que foram eleitos e tiveram que ser empossados. Se além do reitor pro-tempore tivéssemos tido diretores pro-tempores com certeza o dano tinha sido muito maior. Então, o que fez com que o dano não fosse maior foram os diretores eleitos que foram empossados e os nossos conselhos, que seguraram as barras mais pesadas durante os 8 meses de intervenção”, destacou.

Quem é Arnóbio
Natural de Natal-RN, José Arnóbio de Araújo Filho é professor do Ensino Básico Técnico e Tecnológico há 26 anos. Ingressou no Instituto Federal do Rio Grande do Norte, o IFRN, no período da institucionalidade como Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte, a ETFRN, vivenciando também a fase de Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet).

É mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), especialista em Educação Física Infantil e graduado em Licenciatura Plena em Educação Física, as duas últimas formações pela UFRN. Como gestor, exerceu a função de diretor-geral do Campus Natal-Central do IFRN por dois mandatos, durante o período de 2012 a 2019, sendo eleito ao final de 2019 como o terceiro reitor do IFRN.

Fonte: Saiba Mais

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br