PROIFES e entidades se manifestam em Brasília contra a PEC 32 e em defesa dos serviços públicos

Publicado em 14 de setembro de 2021 às 18h45min

Tag(s): PROIFES Reforma Administrativa



O PROIFES-Federação se somou a centenas de servidoras e servidores públicos de todo o país nesta terça-feira, 14, em Brasília, para uma série de ações de mobilização contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32 de 2020, a Reforma Administrativa, que está sendo votada hoje em Comissão Especial da Câmara dos Deputados.

Pela manhã, representantes do PROIFES-Federação estiveram presentes na atividade de recepção a deputados e deputadas realizada no Aeroporto Internacional de Brasília, manifestando-se aos parlamentares sobre os prejuízos da proposta para toda a população.

No período da tarde houve caminhada pela Esplanada dos Ministérios até o Anexo 2 da Câmara dos Deputados, com bandeiras, faixas e cartazes em defesa dos direitos dos servidores e dos serviços oferecidos à população. “Ao contrário do que muitos pensam, a reforma do governo Bolsonaro não vai prejudicar apenas os servidores públicos. Quem depende de serviços em áreas básicas, como saúde, educação e segurança, por exemplo, também terá a vida afetada”, alertou o tesoureiro do PROIFES-Federação, Flávio Silva.

A Reforma Administrativa abre caminho para privatização de serviços essenciais nas mais diversas áreas do setor público, ao ameaçar a estabilidade dos servidores e servidoras e autorizar a redução de jornada e de remuneração, além de possibilitar a extinção de cargos. “Nós servidores trabalhamos intensamente ao longo da pandemia. Estivemos presentes nas mais diversas áreas e não podemos arcar com esse retrocesso”, ressaltou a diretora de direitos humanos do PROIFES, Rosângela Gonçalves de Oliveira.

Nos atos desta terça-feira o PROIFES esteve presente com faixas, bandeiras e material gráfico da campanha Reforma Administrativa – Eu digo Não!, lançada pela Federação com o objetivo de sensibilizar e alertar parlamentares e a sociedade para os perigos e retrocessos que aconteceriam caso a PEC 32 seja aprovada.  “A mobilização é fundamental para barrar a proposta, e eu acredito na força do movimento sindical e daqueles que lutam pelos direitos da população”, destacou Gilka Pimentel, diretora de comunicação do PROIFES. Para esta quarta-feira, 15, estão previstas mais ações na Câmara, com visitas e conversas com deputados, deputadas e parlamentares.

PEC do retrocesso

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20 pode resultar em retrocessos que serão sentidos por todos. Se for aprovada, a reforma deve reduzir a importância do Estado e terceirizar serviços públicos, o que trará prejuízos, em especial, à população mais pobre, camada que mais depende de áreas, como saúde, educação e segurança. A proposta também ameaça a estabilidade e outros direitos históricos dos servidores em atividade e aposentados.

Fonte: PROIFES-Federação com Ascom ADUFG-Sindicato

 
ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br