Mobilização contra a reforma administrativa continua em Brasília

Publicado em 18 de novembro de 2021 às 10h00min

Tag(s): Reforma Administrativa



Adufg-Sindicato e Proifes participam dos protestos em defesa dos direitos e dos serviços públicos

Em mais um ato contra a reforma administrativa do governo Bolsonaro, servidores públicos de todo o País protestaram nesta quarta-feira (17/11), pelo centro de Brasília. Os manifestantes caminharam do Espaço do Servidor, na Esplanada dos Ministérios, até a Praça dos Três Poderes. Representantes do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) e da Proifes-Federação participaram do protesto.

Um dos principais objetivos da mobilização foi alertar, mais uma vez, os parlamentares sobre os prejuízos que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20 pode causar para toda a população. Na prática, a reforma deve reduzir a importância do Estado e terceirizar serviços públicos, o que trará prejuízos, em especial, à população mais pobre, camada que mais depende de áreas, como saúde, educação e segurança. A proposta ameaça, ainda, a estabilidade e outros direitos históricos dos servidores.


Nesta terça-feira (16), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) afirmou que o texto está pronto para ir ao Plenário. "Há a necessidade de se completar o ciclo de reformas, como a administrativa e a tributária", afirmou. Por outro lado, o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM) não vê chances de que a proposta seja votada. "Se botar pra votar, perde", disse.

Movimentos sindicais, entidades de classe e movimentos sociais permanecem em vigília contra a proposta. Os manifestantes vão continuar com os protestos com o objetivo de fazer com que a proposta não seja aprovada.

Fonte: Adufg-Sindicato

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br