Sindicalistas vão articular movimento contra nova tentativa de reforma trabalhista de Bolsonaro

Publicado em 22 de novembro de 2021 às 09h27min

Tag(s): Centrais Sindicais



Os trabalhadores e seus representantes comparam as flexibilizações propostas na medida provisória a uma volta à escravidão

247 - A movimentação do governo Jair Bolsonaro para tentar mais uma vez aprovar no Congresso uma minirreforma trabalhista, acendeu o sinal de alerta nas centrais sindicais, cujas lideranças já começaram a articular estratégias de reação, informa o Painel da Folha de S.Paulo

Por conta das pressões das centrais sobre os parlamentares no início do segundo semestre, com reuniões, ligações para gabinetes e manifestações, em setembro, o Senado rejeitou a medida provisória.

Líderes sindicais compararam as flexibilizações propostas na MP a uma volta à escravidão. O texto reduzia ou retirava obrigações como o pagamento de FGTS e de 13º salário.

Fonte: Brasil 247

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br