Nota de repúdio aos ataques contra a educação pública, gratuita e de qualidade no Brasil.

Publicado em 07 de dezembro de 2021 às 10h17min

Tag(s): Defesa da Educação Pública Nota



NOTA DE REPÚDIO AOS ATAQUES CONTRA A EDUCAÇÃO E PRODUÇÃO CIENTÍFICA PROMOVIDOS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DO GOVERNO BOLSONARO

É com grande preocupação e indignação que o SINDIEDUTEC – Sindicato dos trabalhadores da Educação Básica, Técnica e Tecnológica do Estado do Paraná – manifesta seu veemente repúdio ao corte de verbas imposto às instituições de ensino superior, técnico e tecnológico do país em prol do obscurantismo com o qual flerta o presidente desde os tempos de sua candidatura.

Para o IFPR, o corte se aproxima a 36% do recurso orçamentário para o ano de 2019, o que equivale a uma quantia de R$ 20.895.166,00 a menos, comprometendo seriamente o ensino, pesquisa, extensão e atividades administrativas . Esta é uma medida do governo que tem por objetivo o enfraquecimento das instituições brasileiras (muitas delas renomadas e respeitadas também no exterior) responsáveis pela produção e socialização de conhecimento. Trata-se de um meio de controle social já conhecido e difundido por governos que cortejam ideologias fascistas: a manipulação das massas por meio da ignorância, do discurso de ódio e do massacre ao diverso.

Manifestamos, portanto, a posição do SINDIEDUTEC em não pactuar com esta medida por ferir a autonomia das instituições atacadas no princípio de promover a educação superior e técnico-profissional em condições dignas, idôneas, laicas e, sobretudo, de respeito à diversidade da sociedade brasileira. Quando se trava uma luta contra a articulação entre trabalho, ciência e cultura enquanto pilares formativos para educação e cidadania, trava-se uma luta contra a democracia, já vilipendiada e enfraquecida especialmente depois do golpe parlamentar contra a presidenta Dilma Rousseff.

Entendemos ainda que, se o caso é de retenção de gastos – como se educação fosse algo supérfluo – que façamos uma auditoria da dívida pública, visto que este é o argumento inconsistente já utilizado para a reforma trabalhista, para a reforma da Previdência e mais recentemente para o ataque às instituições produtoras da saberes e ciências do Brasil.

Sigamos juntos e mobilizados. O obscurantismo não deve nos barrar na luta pelos nossos direitos. Pelo respeito à educação e ciência brasileiras, pelo respeito à juventude e aos professores, pelo direito humano da educação e outras garantias já historicamente conquistadas pelo povo brasileiro, fiquemos unidos. Ninguém solta a mão de ninguém.

Fonte: Sindiedutec

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br