Comissão rejeita auxílio emergencial a professor da educação infantil demitido na pandemia

Publicado em 14 de dezembro de 2021 às 09h39min

Tag(s): Educação básica Educação Infantil



Para relatora, perspectiva é que o emprego na área educacional volte à sua dinâmica normal

 

                                                                                       Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados
Discussão e Votação do Parecer do Relator Dep. Paula Belmonte CIDADANIA - DF
Paula Belmonte: País já venceu o período considerado mais crítico da pandemia
 

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados rejeitou o Projeto de Lei 4158/20, que concede auxílio de R$ 600 aos professores de baixa renda (até dois salários mínimos) da educação infantil privada ou conveniada que foram dispensados durante a pandemia de Covid-19.

A rejeição foi pedida pela deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF), que relatou o projeto de autoria do deputado Luizão Goulart (Republicanos-PR). Belmonte alegou “perda do objeto da matéria”. Segundo ela, o País já venceu o período considerado mais crítico para a pandemia.

“Algumas medidas emergenciais abarcaram os professores de escolas privadas e conveniadas, uma vez que a renda familiar mensal foi considerada no auxílio emergencial [de R$ 600]. As aulas já estão sendo retomadas e a perspectiva é de que o emprego na área educacional volte à sua dinâmica normal”, disse.

Como foi rejeitado na única comissão designada para analisar o mérito, o projeto será arquivado, medida que também vale para o apensado (PL 4698/20). A menos que haja recurso ao Plenário da Câmara contrário ao arquivamento.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

 

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Roberto Seabra

Fonte: Agência Câmara de Notícias

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br