2021 foi de vitória parcial contra a PEC 32, mas 2022 ainda reserva muita luta, alerta PROIFES

Publicado em 03 de janeiro de 2022 às 18h38min

Tag(s): PROIFES Reforma Administrativa



Em um ano de conjuntura difícil, o PROIFES-Federação celebra vitórias, mas mantém o alerta para as lutas que acontecerão em 2022. Este é o destaque do presidente do PROIFES-Federação, Nilton Brandão (SINDIEDUTEC-Sindicato) para a atuação da Federação neste ano que se encerra, e também as ações futuras para o próximo período. “Em 2021 o destaque é a luta pela manutenção da vida, na qual as universidades e institutos federais foram fundamentais para, ao mesmo tempo, promover o atendimento à comunidade, a manutenção dos cursos como aulas remotas e atividades para manter o calendário acadêmico e as pesquisas existentes”, afirmou Brandão.

Ele lembrou os diferentes ataques seguidos no ano de 2021 à educação pública brasileira, em diferentes frentes, como corte de orçamento, destruição e abandono de pesquisas do sistema de ciência e tecnologia nacional, os programas de incentivo que foram descontinuados, e eleições de reitores em universidades federais que não foram nomeados. Apesar destes inúmeros ataques, “ao qual sobrevivemos”, frisou Brandão, acrescentando que “obtivemos uma vitória parcial contra a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 32, a Reforma Administrativa, que não foi pautada para votação”.

O PROIFES-Federação participou durante 14 semanas consecutivas de mobilizações nos estados, no aeroporto de Brasília, com recepção a parlamentares, e com atos e mobilizações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal com a campanha nacional: Reforma Administrativa – Eu digo não!”, em que solicitava aos parlamentares a rejeição da PEC 32 de 2020. “Essa campanha teve o objetivo de sensibilizar a população em geral, os parlamentares e os e as docentes federais sobre o estrago que a reforma administrativa representa para o país. Os sindicatos do PROIFES em todas as regiões do Brasil se mobilizaram, e mobilizaram suas bases, em torno da identidade da campanha, dizendo um sonoro Não! à Reforma Administrativa e a todas as retiradas de direitos”, salientou a diretora de Comunicação do PROIFES, Gilka Pimentel (ADURN-Sindicato)

Entretanto, o presidente do PROIFES-Federação alerta que em 2022 haverá grandes desafios para o movimento sindical, de servidores e da educação. “Para o próximo ano temos que estancar os ataques aos direitos e à democracia brasileira. O primeiro desafio é não deixar que a PEC 32 volte à cena no Congresso Nacional, porque ela representa a construção final do Estado mínimo que este governo quer. Não podemos deixar que prospere nova tentativa de aprovação. E o segundo desafio é a derrota final do projeto do governo Bolsonaro, nas eleições e nas urnas em 2022. Esse é o desafio para todos e todas que acreditam em um Estado soberano, e em uma educação pública de qualidade”, concluiu Brandão.

Fonte: PROIFES-Federação

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br