Justiça autoriza quebra de sigilo de Milton Ribeiro, sua esposa e pastores

Publicado em 24 de junho de 2022 às 15h33min

Tag(s): Corrupção MEC



Um dos motivos para a decisão judicial foi a venda de um carro por Milton Ribeiro ao pastor Arilton Moura

 
www.brasil247.com - Milton Ribeiro com Arilton Moura (esq.) e com Gilmar Silva dos Santos (dir.)

Milton Ribeiro com Arilton Moura (esq.) e com Gilmar Silva dos Santos (dir.)
(Foto: Luis Fortes/MEC | Reprodução)
 
247 - O juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal em Brasília, autorizou a quebra dos sigilos bancários do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, de sua esposa, Myrian Pinheiro Ribeiro, e da filha e do genro do pastor Arilton Moura. Empresas ligadas aos pastores Gilmar Santos e Arilton e o ex-assessor do MEC, Luciano Musse, também tiveram os sigilos quebrados. Um dos motivos para a decisão do magistrado foi a venda de um carro por Ribeiro para o pastor Arilton Moura - transação foi encontrada pela Controladoria-Geral da União.  A informação foi publicada nesta quinta-feira (23) pelo jornal Folha de S.Paulo

A Polícia Federal investiga um esquema de tráfico de influência e corrupção no Ministério da Educação (EMC). Policiais prenderam Musse, os dois pastores, o ex-ministro Milton Ribeiro e Helder Bartolomeu, ex-assessor na Prefeitura de Goiânia e genro de Arilton. A PF iniciou as investigações após Ribeiro afirmar no semestre passado que, a pedido de Bolsonaro, liberava dinheiro do MEC por indicação de dois pastores, Arilton Moura e Gilmar Santos.

Advogado de Ribeiro, Daniel Bialski confirmou que o ex-ministro recebeu R$ 50 mil na conta da esposa de Ribeiro por venda de carro a parente do pastor Arilton Moura. 

De acordo com a CGU, "em desfavor da argumentação do Sr. Milton Ribeiro, que tentou demonstrar que adotou postura de distanciamento do pastor, pesa também o fato de ter realizado a venda de um automóvel ao senhor Arilton após as denúncias".

Fonte: Brasil 247

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br