Reitores eleitos e não empossados da UFERSA e de mais 19 Universidades Federais pedem fim de intervenção em carta a Lula

Publicado em 22 de novembro de 2022 às 15h19min

Tag(s): Eleições para Reitoria UFRN



 

Revogar as intervenções do governo Bolsonaro nas nomeações dos reitores das Universidades Federais. A solicitação foi encaminhada pela Frente Nacional de Luta pela Autonomia e Democracia nas Instituições Federais de Ensino Superior, formada por reitores e vice-reitores não empossados de todas as instituições federais de ensino (IFEs), além de entidades sindicais e do movimento estudantil, ao presidente eleito Lula, ao vice Geraldo Alckmin e ao professor José Henrique Paim, coordenador da área de educação na equipe de transição do novo governo.

Atualmente, 20 universidades estão sob intervenção, tendo dirigentes, empossados na reitoria pelo governo Bolsonaro, que não foram eleitos pelas suas comunidades acadêmicas e que não ocupavam o primeiro lugar na lista tríplice. Entre as instituições está a Universidade Federal Rural do Semi-Árido. Desde agosto de 2020, a UFERSA está sob o comando de Ludimilla de Oliveira, terceira colocada na eleição realizada em junho de 2020, com 18,33% dos votos. O professor Rodrigo Codes, que recebeu 35,55% dos votos, era o primeiro nome da lista tríplice.

Além de exercer o cargo à revelia da escolha da comunidade acadêmica, Ludmilla Oliveira corre o risco de perder o título de doutora sob a acusação de plágio. Uma Comissão de Processo Administrativo Disciplinar (CPAD) recomendou a anulação do título de doutora conquistado junto ao Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O despacho da Comissão enviado ao reitor José Daniel Diniz Melo recomenda a aplicação da pena de exclusão de Ludimilla Oliveira da condição de discente do doutorado.

Em carta, a Frente Nacional de Luta pela Autonomia e Democracia nas Instituições Federais de Ensino Superior pede a retomada do respeito às eleições para os cargos de comando da universidade, que as futuras nomeações dos dirigentes máximos das Universidades e Instituições Federais sejam, exclusivamente, dos mais votados pelas respectivas comunidades acadêmicas, respeitando-se os seus estatutos, e uma atuação perante o congresso nacional em prol da revogação definitiva do dispositivo da lista tríplice para nomeação de reitores das universidades federais.

Fonte: Saiba Mais 

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br