UNE: Com as cotas, o Brasil resgata mais uma grande dívida

Publicado em 16 de outubro de 2012 às 09h48min

Tag(s): Lei de Cotas



“O Nosso tempo é um tempo de acesso e democratização das universidades, de ampliação de direitos”, afirmou durante participação no programa Ideias e Debates, da Rádio Vermelho, Daniel Iliescu, presidente da união Nacional dos Estudantes (UNE), ao falar sobre a sanção da presidenta Dilma Rousseff da Lei de Cotas para as Federais.
Ele frisa que "essa vitória é uma das maiores conquistas do Brasil desses últimos 10 anos. Ela vem no momento em que o Brasil está resgatando dívidas sociais importantes, como é a dívida com a educação e do acesso à universidade".
"As entidades organizadas em prol do desenvolvimento educacional, pressionam muito o governo para que a Lei de Cotas fosse sancionada. Além disso, existe hoje uma convicção muito grande do ministro Mercadante e da presidenta Dilma de que as políticas afirmativas são importantes para o Brasil”, pontua Iliescu.
O presidente da UNE lembrou que a vitória da aprovação da Lei de Cotas foi apenas um passo, ou seja, ainda é preciso lutar pela sua implementação. “A gente entende que as cotas ainda causam muitas polêmicas e estamos ciente que poderá resistência à sua implementação por parte de segmentos mais conservadores na sociedade e nas instituições de ensino que a Lei vige. Mas, a UNE, bem como a entidades mobilizadas nessa luta, estão preparadas para esse embate e dispostas a fazer valer esse direito”, enfatizou o dirigente.
Estrutura
Daniel lembrou que com a aplicação da Lei de Cotas outras questões ganham força no debate de ampliação de acesso, tais como a assistência estudantil, tutorias e políticas de acompanhamento destes jovens cotistas. “Em nosso olhar, só a política de cotas não resolve. Ela precisa vir acompanhada de um conjunto de medidas que prepara a Universidade brasileira para se democratizar”.
Ele informa que a UNE está preparando um seminário, que será realizado na semana da Consciência Negra, em São Paulo, em defesa das cotas e da garantia se sua efetiva aplicação. Daniel frisa que o objetivo é reunir governo, universidades, institutos, estudantes e sociedade civil em torno do tema.
Estaduais de São Paulo
Iliescu também refletiu sobre a discussão de se aplicar as cotas às estaduais de São Paulo. “As estaduais de São Paulo terão cotas. A UNE, ao lado da União Estadual dos Estudantes (UEE), já está preparando uma grande campanha pelas cotas nas estaduais paulistas”, sinalizou.
Ele lembra que a política de cotas nasceu nas estaduais, especialmente nas Federais do Rio e da Bahia.
Fonte: Portal Vermelho
 

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br