Plenária mobiliza trabalhadores para o dia de paralisação nacional em 10 de agosto

Publicado em 18 de julho de 2018 às 11h44min

Tag(s): Sindicatos Federados ao PROIFES



Junto com representantes sindicais da Região Sul do Brasil, a ADUFRGS-Sindical, o Sindiedutec-PR e o PROIFES-Federação participaram na última sexta-feira, dia 13, da Plenária Interestadual da CUT Nacional, no Auditório Dante Barone, da Assemnleia Legislativa do RS em Porto Alegre. O evento serviu para os sindicatos discutirem ações para mobilizar suas bases para os atos que acontecerão no dia 10 de agosto. Batizado de "Dia do Basta", a paralisação organizada pelas Centrais Sindicais tem como objetivo paralisar os locais de trabalho e mobilizar as bases sindicais e os movimentos sociais em manifestações de protesto contra o desemprego crescente, contra a retirada de direitos da classe trabalhadora, contra as privatizações, contra o engessamento do orçamento (Emenda Constitucional 95), a reforma trabalhista e a terceirização irrestrita.

A adesão dos professores das instituições federais de ensino à paralisação do dia 10 de agosto será discutida em assembleia na sede da ADUFRGS-Sindical, marcada para o dia 2 de agosto, quinta-feira, às 17h. O assunto vai ser debatido com a categoria e, posteriormente, submetido à consulta eletrônica, conforme prevê o estatuto do Sindicato.  Para o diretor da ADUFRGS-Sindical, Eduardo Rolim, é importante fazer uma grande mobilização, principalmente pela proximidade com o período eleitoral. "Nossa categoria precisa se dar conta de que é preciso fazer uma grande mobilização no dia 10 de agosto. Não apenas para nós termos reajuste em 2019. Não apenas para revogarmos a Emenda Constitucional 95 (EC 95), que, em última análise, acaba com toda a capacidade de investimento na área social. A mobilização dos servidores é fundamental para evitar mais um passo em direção à venda do serviço público para mãos estrangeiras", adverte.  

Rolim afirma que as políticas econômicas deliberadas do governo Temer têm o objetivo de acabar com o ensino público superior, principalmente, com os Institutos Federais. "Hoje, as universidades estão sendo sufocadas pelos cortes das verbas de custeio e, principalmente, com um corte brutal nas verbas de pesquisa. A UFRGS, por exemplo, atrasou quase dois meses o anúncuio do resultado das bolsas de iniciação científica, justamente, pelos cortes que o CNPQ fez", afirma. Também presente na plenária da CUT, o professor da UFRGS Campus Litoral, Felipe Comunello, membro do Conselho de Representantes da ADUFRGS-Sindical, descreve que toda a comunidade acadêmica já sente na pele os impactos dos cortes de gastos, o que afeta o trabalho e a capacidade dos docentes de produzir conhecimento aos alunos. "A categoria precisa ter o foco total nesse dia 10 de agosto. O dia do basta a todas essas políticas que esse governo tem implementado que são prejudiciais ao serviço público e para educação, especificamente. É fundamental que a universidade inteira esteja consciente disso", conclama. 

O Presidente do PROIFES-Federação, Nilton Brandão, também esteve na plenária interestadual da CUT. Associado do Sindiedutec, do Paraná, Nilton afirma que a plenária teve papel fundamental de motivar e direcionar, na mesma perspectiva, a luta dos trabalhadores. "É um momento de ataque aos trabalhadores brasileiros, de uma maneira geral, mas também um ataque forte aos servidores públicos, que foram identificados como responsável pela crise". Para Brandão, é fundamental reverter essas políticas para defender a soberania do país. Nesse sentido, o dia 10 de agosto será um ponto de partida e reflexão, para que elejamos deputados e senadores comprometidos com a pauta dos trabalhadores. "A EC 95 congela os gastos públicos por 20 anos. Ela ataca frontalmente o serviço público. Ao fazer isso, as universidades não terão futuro. Se nós já temos dificuldade na educação hoje, com essa Emenda será ainda pior nos próximos anos. Nossa prioridade é eleger deputados e senadores comprometidos com a revogação da EC95", afirma.

Na plenária da Central Sindical, em Porto Alegre, estiveram presentes lideranças nacionais, como o presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas, o ex-ministro Gilberto Carvalho, além dos representantes da CUT-RS, o presidente em exercício, Marizar Mello, da CUT-SC, Ana Júlia e da CUT-PR, Regina Cruz.

A ADUFRGS-Sindical foi representada pelos diretores Eduardo Rolim de Oliveira e Jairo Bolter e pelos membros do Conselho de Representantes, Felipe Comunello e Cesar Vieira.

Fonte: PROIFES-Federação

ADURN Sindicato
84 3211 9236 • secretaria@adurn.org.br